"Sintrenses" fazem aprovar moção contra a Obesidade Infantil

É necessário estar atento e combater o fenómeno da obesidade infantil no nosso concelho. É preciso mobilizar esforços para combater este flagelo que condiciona a vida de muitas crianças e jovens. Foi com esse objetivo que apresentámos em reunião de Câmara uma proposta sobre este assunto.

Aqui fica o texto que foi votado por unanimidade:

" Considerando que o Dia Nacional de Luta contra a Obesidade, cuja comemoração o calendário consagra a 23/5, se verificou recentemente e oferece o mote para a problemática dos padrões de vida seguidos;

Considerando que nesse âmbito importa reflectir sobre os números decorrentes dum estudo realizado, que revela que mais de metade da população portuguesa tem excesso de peso e destes -14,2% são casos de obesidade:
-14% dos adultos tem obesidade
-1,4% dos adultos tem obesidade mórbida
-31% das crianças e adolescentes portugueses têm excesso de peso.

Considerando que a Organização Mundial de Saúde a classifica mesmo de epidemia do século XXI, com a expressão das doenças associadas a fazer com que se torne um problema de saúde pública;

Considerando que também nesta área a administração local é chamada a intervir e mesmo se os padrões alimentares saudáveis são garantidos nas refeições escolares, importará reforçar parcerias para incrementar acções de educação alimentar, uma vez que é assumida a capacidade das crianças influenciarem os adultos, sendo imprescindível que em contexto familiar sejam seguidos os mesmos padrões;

Considerando, por um lado, a importância e alcance que nestas matérias vem sendo assumida pelos Centros de Saúde, alguns dos quais desenvolvem já iniciativas de educação alimentar junto da população escolar;

Considerando, por outro, que se viu realizado um estudo nas Escolas Secundárias de Sintra e que foi base da tese de doutoramento de Maria João Cunha, relativo aos “Mass Media e Imagem Corporal – Representações e Impactos da Publicidade da Imprensa Feminina na imagem corporal das adolescentes”, que entronca na problemática da anorexia;

Temos a honra de propor, em nome da saúde pública e visando que sejam seguidos padrões mais consentâneos com uma boa cultura alimentar geradora de maior bem-estar e menor morbilidade:

  • Que possa ver-se protocolado com o ACES, a extensão desses programas pelas Unidades de Saúde de Sintra, promovendo ações de sensibilização junto da comunidade escolar e das instituições de apoio aos idosos, atendendo à incidência de problemas decorrentes duma alimentação desadequada nestas faixas etárias;
  • Que seja promovida uma auscultação junto de estruturas universitárias que ministrem formação superior em ciências da nutrição, de molde a permitir que se vejam firmados protocolos para que os alunos dum determinado nível de formação, devidamente enquadrados, assumissem uma itinerância pelas escolas de nível secundário para implementação dum programa que concorresse para dar competências nesta área concreta;
  • Que seja a autora do estudo referido, empreendido em escolas do Concelho, convidada pela autarquia a apresentar os resultados do mesmo, pela importância das reflexões que poderia gerar na comunidade educativa e que encontraria neste âmbito, uma particular oportunidade.

Paços do Concelho, aos 9 de Junho de 2015 "

TOPO